segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

[Resenha 14] Ligeiramente Casados - Mary Balogh (Os Bedwyn #01)

*** Meu primeiro romance de época. E não foi qualquer um: Dei sorte!***


Ligeiramente Casados 
Mary Balogh
Editora Arqueiro. 288 páginas.

Série "Os Bedwyn":
1. Ligeiramente Casados - Slightly Married (Aidan Bedwyn) 
2. Ligeiramente Maliciosos - Sligthly Wicked (Rannulf Bedwyn) - A ser publicado pela Editora Arqueiro em abril de 2015, 
3. Slightly Scandalous (Freyja Bedwyn)
4. Slightly tempted (Morgan Bedwyn)
5. Slightly Sinful (Alleyne Bedwyn)
6. Slightly Dangerous (Wulfric Bedwyn)

Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse. Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.

Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.

Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.

Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...

Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. 


Opinião:
Adorei.
Por enquanto, o melhor livro de 2015.

Simplesmente adorei Aidan, o mocinho, que não é um mocinho normal. Gosto de mocinhos tradicionais, como os mocinhos Sullivan e outros que nos fazem suspirar, é claro, mas Aidan não é APENAS um mocinho. Ele é um Homem feito, de 30 anos, sem dilemas adolescentes e dúvidas fúteis, que devido uma promessa a um de seus soldados à beira da morte vai até a casa da irmã dele para dar a notícia da tal morte. Ele prometeu "Protegê-la a qualquer custo" e é isso que ele faz.

Aidan é seco, sério, apesar de educado e gentil, e chega na propriedade de Eve, que é uma mocinha de época, mas que a vida tornou independente, apesar de muitos dependerem dela. Eve não é a superheroína dos tempos atuais, mas não é abobada, ainda que teimosa. A bondade de Eve é uma benção e também um fardo para ela, pois quando ela se vê prestes a perder suas terras para um primo que vai deixar a ela e a todos os seus dependentes na "rua da amargura". Aidan descobre a única maneira de ajudá-la: eles precisam se casar em até 4 dias. Eve reluta, mas está sem saída, então aceita. 

O início para mim foi um pouco confuso, porque há muitos personagens e todos são referidos pelo sobrenome (como era antigamente). Há um tal de John que fica "na moita" até quase o fim da história e no inicio não sabemos bem sua importância. A história é quase nada sexual na maioria do tempo, e não muito romântica como eu estava acostumada. Ela trata daquele amor que vêm amando <3 E bem assim que eu fui com a história. Fui amando mais e mais conforme fui lendo. 

No andar da história, a partir do meio, as coisas mudam. Muda o vilão, muda o cenário, mas fica bem legal. Eve tem que retribuir a cortesia de Aidan, ajudando-o, a pedido de seu irmão, o Duque de Bewcastle, que consegue ser mais arisco e muito mais metido que Aidan. 

Conhecemos aí a família de Aidan, que tem duas irmãs (uma mais novinha e outra que eu achei com jeito de "machona") e dois irmãos (ou eram três?), e uma tia metida e chiquérrima. Eve os conquista - Aidan incluído - aos poucos. Na verdade não consigo dizer exatamente quando um começou a amar o outro, mas gente... é muito amor. É um livro muito bacana, sem ser meloso demais e sem ser piegas ou brega demais. 

Acho que dei muita sorte de pegar esse para meu primeiro romance "de época". Como escrevi ali em cima, o próximo livro da "série" dos irmãos, que já foi totalmente lançada em inglês, será lançado em abril desse ano e eu pretendo lê-lo =) Mas não acho que TODO livro de romance de época vai me agradar. Foram os detalhes desse romance que me fizeram apaixonar. 

Recomendaria? Sim. Recomendei já para algumas pessoas pessoalmente, para quem gosta de romances doces na medida certa. Adorei mesmo.

Releria? Sim. Gostei muito e pretendo ir adiante com a série, não descartando a possibilidade de reler em breve. Na verdade deu vontade de continuar, de recomeçar logo que acabei.