segunda-feira, 6 de julho de 2015

[Curiosidades 08] Como comecei a ler....

Oi pessoal!

Ando totalmente perdida no YouTube alimentando meu mais novo VICIO: assistir videos-resenhas de Booktubers que eu curto. Já comentei sobre o canal da Nathalia aqui (que foi o primeiro canal que eu assisti na vida!), mas tem vários outros que tenho AMADO ver e morro de ataque do coração quando vejo que algum dos canais postou algo novo. Outra fofa que tenho ouvido muito e conheci pouco depois do canal da Nath, foi a Pam Gonçalvez (que era do blog Garota It e agora tem um canal com o nome dela). Eu estava fuçando no canal dela e vi esse video aí de baixo:




O vídeo conta sobre como ela começou gostar de ler e ela desatou a falar sobre Harry Potter. Então eu me lembrei de como EU comecei a AMAR ler. Felizmente foi bem antes de Harry Potter. Acho que devo meu gosto pela leitura a uma conjunção de fatores, mas eu queria dar crédito a algumas pessoas que me incentivaram de modo positivo nesse caminho:

1) Tia Clarinha: Me ensinou como é bom ler.

Eu mal sabia ler sozinha. Ela era uma jovem estudante e eu praticamente morava na casa da minha avó, onde ela também morava. Na frente da casa, bem na frente, havia um clube com uma biblioteca. Gente, eu ainda consigo lembrar o cheiro do lugar - caramba, comecei a chorar já... - das paredes pintadas com desenhos estilo Miró que ainda existem lá. Era uma experiencia quase mística ir com minha tia, de mãos dadas com ela, me achando a TAL, com uns 5, 6 anos, eu acho, para sentar em frente uma cesta de vime cheia de livrinhos e escolher um para lermos juntas. Não lembro se isso durou muito, mas, se foram apenas algumas vezes, foram bastante significativas.

Por sinal, parece que a bibliotecária de lá ainda é a mesma. Ela me reconhece quando eu passo por ela, e eu meio que a reconheço também. Às vezes, tenho vontade de ir lá e conversar com ela, mais de 20 anos depois daquele tempo mágico. Um dia desses o farei e contarei para vocês como foi.

2) Professora Rosa: Me mostrou que eu podia ler sozinha.

Estudei numa escola particular bastante boa na minha cidade (obrigada pai e mãe) e essa escola mandava a gente ler livrinhos para as aulas de português (e até outras disciplinas, às vezes). Eu lembro daqueles clássicos para crianças - As viagens de Gulliver, Robinson Crusoé, Don Quixote - e lembro também dos livros da coleção Vagalume. Nessa época eu estava na sexta série, e minha professora era a professora Rosa (obrigada colégio, obrigada Rosa). Não lembro de adorar ela e nem as aulas dela em específico, mas lembro claramente de um belo dia na sexta série em que eu, super tímida, fui dizer a ela que tinha terminado o livro indicado (que não lembro qual era) e que gostava muito de ler. Ficamos conversamos um pouco e ela me indicou ler mais livros além dos da escola (Uau, como eu não tinha pensado nisso antes? Pior que não tinha, gente...). Eu perguntei quais, ainda sem muita autonomia de escolher e ela disse que podia ser qualquer um das coleções que estávamos lendo. Insisti e ela me indicou "O Retrato de Dorian Gray" (obrigada Rosa, x2). Não sei porquê ela indicou este, mas a adaptação já era tãooooo boa, cheia de suspense que eu amei (imagina quando eu reler o livro, ainda não o fiz, apesar de ter aqui na estante um capa dura, lindinho). 


Não é o meu exemplar, mas foi
exatamente essa edição com essa capa que eu li.

Esse dia me marcou muito e esse livro também. Foi quando comecei a escolher e ler coisas que não era o que os professores mandavam. E isso foi indo até se transformar em uma grande paixão por leitura antes mesmo de eu me formar no colégio.


3) Minha mãe! Me mostrou o mundo, patrocinou todas minhas leituras por um bom tempo e me apoiou na vida fora dos livros.

Por muito tempo na minha vida, sempre que eu pensava em quem tinha me influenciado, lembrava das duas pessoas a cima e só.  Até que belo dia eu estava pensando em alguns livros que eu gostei muito de ler e me influenciaram muito e... tcharam! Minha mãe precisava entrar para essa lista!

"Harry Potter e a pedra filosofal" ela viu uma reportagem numa revista sobre ele e me disse para ler a revista. Eu li e disse: "Legal", mas totalmente sem emoção. Ela me deu o livro sem eu querer e eu disse: "Ah. Tá. Legal. Obrigada", bem sem emoção, até eu começar a ler e me apaixonar. "Crepúsculo" foi quase a mesma coisa. Ganhei dela, uns dias antes de ir viajar (em 2008, quando foi lançado, porque ela leu sobre ele numa revista) e levei junto, super sem animação de ler. Fiquei presa no avião por 40 min numa escala e acabei pegando para ler e não largando mais. A história foi similar com "A menina que roubava livros" que eu também amei demais a história. 



Hoje em dia, eu confesso. Tenho ganhado alguns livros dela ("Par Perfeito" (Eleanor Prescott) e "O Momento Mágico" (Jeffrey Zaslow), por exemplo) que continuam sem me dar annemo nenhum para lê-los, mas... Quem sabe não serão livros maravilhosos que eu tô deixando escapar? 

Mãe, sei que você não costuma ler nada do que eu escrevo aqui, mas espero que 1) não fique brava por eu ter colocado nossa foto <3 2) saiba que no fundo, no fundo, eu não seria a leitora que sou (a PESSOA que sou) se não fosse por ti. 


***
Enfim, pessoal, 
Foi assim que eu comecei a ler.
Me emocionei muito escrevendo isso aqui, espero que tenham gostado. 
Já pensaram em quem os incentivou a ler? 
Quem é o "culpado" por isso? ;-)