quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Top 5 Livros que o colégio mandou ler e eu AMEI

Quem nunca "fez doce" pra ler um livro pra escola e/ou faculdade e acabou o adorando? Mesmo sendo clássico, com capa feia, ou com muitas páginas, tem livros que a gente acaba se apaixonando, ainda que tenha lido por obrigação.

(e odiamos admitir, não é? rsrsrs)


Estudei no mesmo colégio particular sempre. Felizmente, fosse no ensino fundamental ou no médio, eu tinha sempre várias leituras obrigatórias a fazer para disciplinas como português, literatura, história e outras. Como já contei noutro post, sobre como comecei a gostar de ler (confira ele aqui), isso teve uma grande influência no meu gosto de leitura. 


Sem enrolar mais, vamos aos livros!


1. O Continente (O Tempo e o Vento #01) - Érico Veríssimo

Há várias edições, mas esta foi a que eu li =)
Bah! Que gordinho esse aí... Ele assustou de início principalmente pelo fato de ter muitas páginas, e eu li logo no 1º ano do Ensino Médio! Acho que foi um dos primeiros livrões que li. Além de ser longo e parte de uma trilogia, os capítulos ainda não estão na ordem cronológica da história!

Precisei ler este livro pra Literatura, porque aqui no Rio Grande do Sul esse livro costuma ser muito citado no Vestibular da UFRGS. O livro tem como pano de fundo a história do meu Estado. Gostei porque há personagens fortes e marcantes. É muito bonita a história e comovente até e a escrita do Érico Veríssimo é conhecida nacionalmente. 


"O Continente" é o primeiro livro da Trilogia "O tempo e o vento", mas eu nunca cheguei a ler os outros dois livros. A vloggeira Tatiana Feltrin do "Tiny Little Things" no You Tube recentemente fez um projeto para ler todos eles. Confira neste link videos dela sobre estes livros. 


2. O Apanhador no Campo de Centeio - J. D. Salinger

Essa também é a capa e edição que eu li em 2001.
Na época foi difícil achar esse livro, o meu exemplar tem essa capa aí e é de um sebo, mas pouco depois lançaram uma capa cinza feia (mais feia que essa) de dar dó (que todos meus colegas adquiriram). Apesar de ter gírias antigas e um título longo e difícil de entender, esse livro cativa. A leitura flui. Me identifiquei com o Holden, personagem principal, mesmo não tendo nada a ver com ele. 

"O Apanhador..." é um livro polêmico. O livro gerou discussão após o assassino de John Lennon dizer estar lendo o livro antes de cometer o crime e clamar ter saído dele a inspiração para o assassinato. Mais curioso ainda é que o homem que tentou assassinar Ronald Reagan (na época presidente dos EUA) afirmou a mesma coisa, ou seja, que teria tirado do livro a inspiração para matar o presidente americano em 1981.


"As vantagens de ser invisível" de Stephen Chbowsky é muito comparado ao "O Apanhador...", mas tentei ler e não gostei, enquanto "O Apanhador..." eu li 3 vezes já e pretendo reler outra, na edição nova que comprei, em inglês.



Esse livro foi lançado pela Rocco
após o anúncio do filme sobre essa história.
Polêmico ou não, "O Apanhador..." me marcou muito e eu o anunciava, por muito tempo, como meu livro preferido. 

3. O Diário de Anne Frank - Anne Frank


Essa também é a edição que eu li na época.
Há várias hoje em dia, com conteúdos diferentes.
Não que eu não queria ler, mas nunca esperei gostar tanto desse livro. Vale dizer que além do nome Anne, a protagonista e eu compartilhávamos a religião e a idade (em que ela escreveu e eu li) na época da minha leitura.

O livro conta a história real de uma menina adolescente judia que junto de sua família e uma outra família se escondem da perseguição nazista na 2ª Guerra Mundial no "Anexo". Anne tem que suportar a falta de privacidade, falta de asseio, racionamento de comida e muito mais. Ainda assim, ela manteve um diário com anotações de seus pensamentos e sentimentos e o mais incrível (além da maturidade dela) é que os pensamentos e sentimentos da garota são comuns para qualquer menina adolescente de 13 anos.


Devido minha origem, acabei me colocando terrivelmente em seu lugar e o livro me tocou de modo brutal. Gostei muito da história (real) e para sempre a tenho com carinho. Foi na mesma época que assisti, pela primeira vez o filme "A Lista de Schindler" e o filme em preto e branco deste livro e tudo isso me emocionou muito. 


4. Exodus - Leon Uris
Essa foi a edição do livro que eu li e tenho,
 mas há novas edições, inclusive em pocket.

Acho que esse e o próximo livro são os menos conhecidos que aparecerão por aqui nesse Top 5. 

Novamente uma capa feia e um livro bem gordinho. A história é bem interessante porém. Nos anos de 1947-1948 , quando se passa a história, é a época em que o Estado de Israel foi formado, visando principalmente abrigar os judeus do mundo todo que ficaram sem pátria, sem dinheiro, sem saúde e sem família após o fim da Segunda Guerra Mundial. O livro (que foi adaptado para o cinema também) mostra todo o processo histórico, incluindo as discussões na ONU e a decisão da ONU de formar dois Estados em 1948 - um israelense e um palestino, através da história fictícia de alguns protagonistas. Para os que não conhecem essa história: após essa declaração, os palestinos, inconformados, dão inicio à Guerra de Independência, na qual Israel conquista territórios que não estavam no acordo inicial e aí que começa toooooda a briga por lá entre os povos. 


Enfim, motivada num grupo de juventude sionista, a leitura desse "gordinho" foi rápida e super interessante para mim e creio que poderá ser para várias outras pessoas interessadas nesses temas, porque trata-se de um romance histórico com fatos reais.


5. Imperatriz no fim do mundo - Ivanir Calado
Uma história sobre a História do Brasil, eca!
Só que não! =D
Eis que um belo dia a professora (não lembro se era a de história ou a de português) nos deu a super possibilidade de escolher entre dois livros para ler: ou um sobre a primeira esposa do Dom Pedro ou um sobre a segunda esposa do Dom Pedro!!! 

Piada? 

Não!
KKKK

Nenhum deles parecia bom, mas escolhi esse e fui com ele. Não consigo lembrar agora qual era o título do outro livro que poderia ser lido. Enfim, alguns alunos leram um, outros escolheram o outro. Fui super de má vontade ler esse livro porque apesar de sempre ter gostado de História, havia outros livro mais interessantes que esse para uma adolescente de 15 anos. 

Não sei se foi porque a protagonista, Amelia, também era adolescente, mas alguma coisa nesse livro me cativou. Eu li rapidamente e não odiei tanto quanto esperava. Inclusive acho que esse foi uma das maiores surpresas de leituras que tive no colégio.


Recomendo a leitura, especialmente se a pessoa a ler não seja mais adolescente. Acho que gostei por uma sorte. A maioria dos meus colegas não achou os livros tão bacanas assim, mas ainda tenho partes da história claras na minha mente.


****

No meu skoob há uma tag (etiqueta) marcando "para o colégio" em que estão os livros que lembro que li obrigatórios na época do colégio. Se quiser acessar, clique aqui.



Espero que tenham curtido =) 
Até a próxima!