domingo, 22 de fevereiro de 2015

Minha Premiação "Oscar" Literário 2015

Oi leitores!
Hoje é dia de Oscar Cinematográfico e Literário para mim!
Comecei recentemente a publicar resenhas de filmes e espero que vocês curtam elas também.
Resolvi fazer um Oscar, uma premiação para eleger os melhores, entre os livros lidos no ano anterior (2014). Em 2014 li 51 livros, sendo 12 deles releitura, ou seja 39 novos livros.

Melhor livro (filme):  "Todo Dia", David Levithan

Teve poucos mas mais de um livro que eu realmente adorei neste ano, mas escolhi este como o melhor porque ele me intrigou desde o início, e eu não achei nenhuma parte monótona ou boba. Ele foi consistentemente bom, a história é diferente suficiente para eu ter indicado para um milhão de pessoas até agora. 

Outros concorrentes da categoria: "Estudos sobre veneno" (Maria V. Snyder); "Amante da Fantasia" (Sherrilyn Kenyon); "Perdida" (Carina Rissi) e "Até eu te encontrar" (Graciela Mayrink).

Melhor autor/a (diretor): Tahereh Mafi,  autora de "Estilhaça-me" 

Olhando os autores que eu conheci em 2014, soube que essa seria a vencedora desta categoria. Como podem ler na minha resenha sobre o livro acima citado, eu me surpreendi muito com ela. Não gostei tanto do livro quanto do modo de escrita da autora. Para mim, aquele estilo "riscado" de escrever e de mostrar os pensamentos da personagem foi bastante inovador e agradável. Em alguns momentos foi até poético e eu gostei muito de ver que, não é só porque é "mais uma daquelas trilogiaszinhas distópicas" que não pode ser literatura de qualidade. 

Outros concorrentes da categoria: Christina Lauren (da série Irresistível, porque eu devorei a série), Sarah Jio (de "As Violetas de Março", que me fez curtir um novo estilo de livro) e Bella Andre (da série "Os Sullivans", que eu já conhecia de outros anos e continuo amando).

Melhor livro em língua estrangeira: Neste ano, tudo que li foi escrito ou em português ou em inglês e para mim esta categoria seria composta de livros em alguma outra língua.

Melhor livro nacional: "Perdida", Carina Rissi + "Até eu te encontrar",  Graciela Mayrink

Só li estes dois livros nacionais esse ano e fui incapaz de decidir entre eles. Nos dois casos, eu fiquei até de madrugada (coisa raríssima de acontecer) lendo-os, devorando-os em pouco  tempo. Em "Perdida" eu ri mais, mas em "Até eu te encontrar" havia um pouco de magia e me fez relembrar bons tempos da minha vida. Conheci a Graciela e ela é uma coisa fofíssima e seu livro também, portanto gostaria de dar o prêmio somente para ela, mas não posso. "Perdida" foi realmente muito bom também.

Melhor livro não-ficção (documentário): Neste ano, não li nada de não-ficção. Normalmente não leio esse estilo, na verdade.

Melhor conto (curta-metragem): "Colinas como elefantes brancos", Ernest Hemingway

Trabalhei com esse conto no meu curso de pós-graduação em tradução. Já conhecia e adorava Hemingway, e apesar de ter dado bastante trabalho fazer essa tradução, cada passo, descoberta e decisão a respeito do texto foi apreciado, principalmente ao compreender o significado oculto de que a história tratava.


Outros concorrentes: "Amigo Secreto: A lista de desejos" (me fez odiar menos a autora, Sylvia Day); "Extase", "Candy Store" e "Uma Noite Perfeita" (da Bella Andre, que eu já adoro, mas achei menos empolgantes que os seus romances); "Lamb to the Slaughter" (de Roald Dahl, autor de "A fantástica fábrica de chocolate", mas nem um  pouco infantil, também conhecido pelo curso de tradução).


Melhor capa (fotografia): Teardrop (Lágrima v.1), de Lauren Kate


Infelizmente, comigo "quem vê cara, não vê coração" funciona na literatura. Normalmente os livros que eu mais amo a capa, tenho problemas com o conteúdo, e esse foi um dos que mais se encaixaram nesse problema até agora. Gente, amei essa capa, é em relevo, tem azul e a fotografia é linda, parecendo encaixar perfeito na sinopse. Comprei e a história não foi tão apaixonante quanto a capa dele, mas ainda assim, devo dar uma chance para a continuação, assim que eu tiver ela, que, por sinal, também tem uma capa maravilinda.


Outros concorrentes: "Cretino Irresistível", de Christina Lauren; "Estilhaça-me" de Tahereh Mafi; "A escolha", Kiera Cass


Melhor mocinho (ator): Will Sumner, de "Playboy Irresistível" (Christina Lauren)

Quase outro empate, entre Julian da Macedônia e Will Sumner, mas resolvi decidir entre os dois, proque o livro do "Playboy Irresistível" eu li duas vezes, enquanto o de Julian apenas uma, ainda que praticamente em um dia só e totalmente babando. Will para mim foi Irresístível pois me identifiquei demaaaaaaais com a Hannah, uma nerd pesquisadora e o romance deles é tão fofoooo <3

Outros concorrentes: Julian da Macedônia, de "Amante da Fantasia" (Sherrilyn Kenyon); Travis Maddoxx de "Desastre Ambulante" (Jamie McGuire).

Melhor mocinha: Yelena Zaltana, de "Estudos sobre Veneno"

O livro não era meu, passou pela minha vida. É o primeiro de uma trilogia, e apenas os dois primeiros livros foram publicados em papel pela editora Harlequin. É um livro de fantasia e magia e distopia também. Me lembrou um pouco a trama de "O trono de vidro" (de Sarah J. Maas) que eu li até a metade só, mas pretendo terminar um dia. Yelena passa por poucas e boas: órfã, presa e sentenciada a morte por matar um agressor do orfanato e "salva" da forca, com a condição de se tornar "provadora de comidas" (possivelmente envenenadas) do General do seu país. Ela também sabe lutar, usar magia e ah, é trapezista. Teria que escrever uma resenha inteira sobre ele, mas eu garanto. Ela não é "fazida", nem melosa e é nada clichê.

Outros concorrentes: America Singer da série "A Seleção" (Kiera Cass), Tris da série Divergente (Veronica Roth), Lori Sullivan de "Em meus pensamentos" da série "Os Sullivans" (Bella Andre).


****

Opinião:

Esse balanço de fim de ano é interessante de se fazer. Em 2014 li mais que nos outros anos, mesmo tendo começado a trabalhar como professora a partir de agosto. Estou feliz de ter conseguido começar o blog e publicado nele mais regularmente do que imaginava que aconteceria. 

Planos pra 2015?
Continuar com o blog e talvez divulgá-lo mais. Nunca foi minha intenção fazer dele um daqueles blogs UAU cheio de frufrus e promoções, mas já estou mudando de ideia. Quero trazer uma outra blogueira pra participar entre outras coisas. Você tem alguma sugestão?


Quanto ao "Oscar Literário", este ano eu já li 8 livros, tendo resenhado alguns para vocês. Dois deles levaram 5 estrelas no meu Skoob: "Ligeiramente Casados" (já resenhado) e "O destino do tigre" (parte final da A Saga do Tigre, de Colleen Houck, que ainda não resenhei, e farei em conjunto em breve). Teremos que esperar para ver se eles se manterão como competidores sérios pro "Oscar" do ano que vem =)